Mostrando postagens com marcador Livro. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Livro. Mostrar todas as postagens

06/02/2020

O que assistir depois de terminar Anne with an "E"


Caso você tenha terminado de assistir à série "Anne with an "E" com certeza está querendo algum tipo de continuação, já que a quarta temporada não tem previsão de ser feita. Pensando nisso, separei alguns filmes que acho que seguem a mesma linha da série, ou seja, a forma poética e delicada de abordar assuntos extremamente complicados... Vamos a eles, então:

Uma viagem extraordinária


Aos doze anos de idade, T.S. Spivet é um garoto superdotado, apaixonado por cartografia. Quando ele ganha um prêmio científico prestigioso, o garoto decide abandonar sua família em Montana para atravessar sozinho aos Estados Unidos, até chegar a Washington. O único problema é que o júri não sabe que o vencedor ainda é uma criança.


Pode parecer monótomo, mas não é, você se apaixonará pela forma reflexiva e inteligente que o protagonista enxerga a vida.

Sociedade literária e a torta de casca de batata


Juliet Ashton (Lily James) é uma escritora na Londres de 1946 que decide visitar Guernsey, uma das Ilhas do Canal invadidas pela Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial, depois que ela recebe uma carta de um fazendeiro contando sobre como um clube do livro local foi fundado durante a guerra. Lá ela constrói profundos relacionamentos com os moradores da ilha e decide escrever um livro sobre as experiências deles na guerra.
Semelhante à série, esse filme também é baseado em um livro de mesmo nome.

Histórias Cruzadas 

Jackson, pequena cidade no estado do Mississipi, anos 60. Skeeter (Emma Stone) é uma garota da sociedade que retorna determinada a se tornar escritora. Ela começa a entrevistar as mulheres negras da cidade, que deixaram suas vidas para trabalhar na criação dos filhos da elite branca, da qual a própria Skeeter faz parte. Aibileen Clark (Viola Davis), a emprega da melhor amiga de Skeeter, é a primeira a conceder uma entrevista, o que desagrada a sociedade como um todo. Apesar das críticas, Skeeter e Aibileen continuam trabalhando juntas e, aos poucos, conseguem novas adesões.
A forma como o livro aborda o preconceito junto com a força do poder da escrita é incrível. Ah, caso você goste muito (você vai) tem o livro com muito mais detalhes, no Brasil tem o título "A resposta - Kathryn Stockett".

A livraria


No final da década de 50, uma mulher (Emily Mortimer) recém-chegada em uma pacata cidade do litoral da Inglaterra decide abrir uma livraria. Contudo, sua iniciativa é vista com maus olhos pela conservadora comunidade local, que passa a se opor tanto a ela quanto ao seu negócio, obrigando-a lutar por seu estabelecimento.
Existem várias semelhanças com a série, sendo a principal delas o conservadorismo.

*Boa parte das sinopses foi copiada de outros sites. 




07/07/2017

Resenha_ A Química



  Olá meus amores! Tudo bem com vocês? Hoje vim trazer  a resenha do livro "A química" De Stephenie Meyer, autora que se consagrou com a saga Crepúsculo, publicado em 2005.

  O livro lançado seis anos depois da saga Crepúsculo, tem como protagonista a Dra.  Juliana Fortis, que possuía uma vida pacata e normal, até ser recrutada, pelo governo americano, para um laboratório de espionagem, produzindo químicos específicos para interrogatórios  mais sigilosos. Ela era especialista em sua área, por isso ficou conhecida como a química.

  Até aí, tudo parecia perfeito. Orfã de pai e de mãe, Juliana nunca se importou em possuir amigos e em uma vida fora de seu local de trabalho. Seu único amigo era o seu mentor, Dr. Barnaby, que a orienta para um ataque do governo. O inevitável acontece, e a partir daí, Juliana muda de identidade de tempos em tempos, e com sua inteligência, ela consegue fugir por vários anos, até ser recontratada pela agência, cansada de fugir, e consciente de que provavelmente isso seria uma armadilha, ela resolve encarar o desafio de frente. O que ela não sabia, era uma aliança com um ex agente da companhia, que também era caçado, e um amor repentino pelo caminho.

  Uma das melhores coisas do livro, foi o romance não ser o "centro" da história, onde em nenhum momento, a personagem fica fragilizada em prol de um romance. È com certeza um dos melhores livros que já li!

 Espero que tenham gostado,  e recomendo a leitura ;)

  -Letícia Lima

 

09/06/2017

Larga Quem Não te Agarra_ Resenha



  Olá amores! Tudo bem com vocês? Espero que sim;) Bem, eu prometi hà um tempinho atrás que iria reservar algumas sextas- feiras para fazer resenhas de livros aqui no blog, e como prometido, aqui estou eu!

  Hoje eu trouxe pra vocês um livro show de bola, e que já virou meu xodó. È um livro de um escritor português chamado Raul Minh´alma, e tem como título "Larga quem não te agarra".

  O livro é composto por 500 textos que tem como tema central, os relacionamentos, e tem algo de super especial... Ele fala sobre você! Isso mesmo, o livro fala sobre todas as pessoas que não conseguem expressar o que tem dentro de si.

  Em "Larga quem não te agarra", Raul traz palavras que expõem as angústias que estão no fundo da alma, e as emoções que nos fazem ser o que somos.

  Concluindo, o livro tem o objetivo de fazer- te agarrar quem merece estar na sua vida, e largar quem não faz por estar nela.

  Aqui vai algumas frases do livro!

   Ps. Super recomendo a leitura!

  "Deixem- me ser um palema feliz, um doente apaixonado, e um infantil sonhador"

  "Quero acreditar que a vida escolheu a dedo, e com a melhor das intenções, quem apareceu e ficou e quem apareceu e desapareceu"

  "Deixa o destino decidir se é para sempre ou não, faz tua parte, ama"

  -Letícia Lima

31/03/2017

Minha Vida de Menina_ Resenha


E já dizia meu avô; "Nada melhor do que um bom e velho livro!". Pensando nisso, resolvi publicar algumas resenhas para os amantes da leitura. 

  E por que não começar com um dos clássicos de nossa literatura? 

  Então vamos começar com o livro "Minha Vida de Menina" de Helena Morley (Na verdade, pseudônimo de Alice Caldeira Brant) nascida em 1880, na cidade de Diamantina- MG, província onde se passa a história.

  O livro é escrito em forma de diário no período de infância e adolescência da autora, entre os anos de 1893 e 1895, pouco tempo depois da abolição da escravidão no Brasil, porém, só foi publicado pela primeira vez em 1942, e foi aclamado por vários escritores como Carlos Drummond de Andrade e, João Guimarães Rosa. Nele a autora retrata os casos de sua família, a vida na pequena mineração, bem como os ritos religiosos e costumes de sua época.

  Helena é descendente de ingleses por parte de pai, e é uma menina observadora, crítica e inquieta, ao mesmo tempo que bem humorada, tanto que chegava a "espantar" as visitas com seus frouxos de riso.

  Confesso que devorei o livro em três dias, e o mesmo me arrancou muitas lágrimas e sorrisos. Creio que vocês (de modo especial, as meninas) irão se identificar com Helena, pois a mesma está numa fase de transição e de formação da mente da mulher. Além do mais, o livro retrata os gostos, personalidade e relações da menina com sua família e amigos.

  Super recomendo a leitura, e sei que como eu, vocês também vão se encantar com a pequena inglesinha Helena.

- Letícia Lima

05/02/2017

5 lições que aprendi com o Pequeno Príncipe


  O Pequeno Príncipe é um dos livros que mais gosto, acho incrível o jeito que ele foi escrito e a mensagem que ele passa... a profundidade das palavras e frases faz com que não seja apenas um livro infantil, mas um livro que quem ler leva para a vida toda.

  Separei cinco coisas que aprendi com o livro, se você já leu o livro deve ter aprendido também.

Não se importar com os números

  Para mim é bem difícil não se importar, já que sou de exatas, mas acho que os números que o autor fala, não são contas, mas a questão de valores.
  Quando valorizamos mais os números, deixamos de valorizar essências. Isso acontece quando nos importamos com quanto as pessoas tem na conta bancária, quantos pares de sapatos tem...
   Os números também são riquezas que acumulamos e muitas vezes perdemos tempo em não aproveitar a vida, igual o cogumelo citado no livro.
  "Nunca cheirou uma flor. Nunca olhou uma estrela. Nunca amou ninguém..."

Remover os baobás

  O pequeno príncipe se preocupava muito com o que nascia no seu planeta, ele removia os baobás ainda pequenos para que não crescessem e destruíssem seu planeta.
   Esse planeta é nosso coração, nele pode nascer qualquer tipo de sentimento, mas o que não podemos é deixar que os sentimentos ruins cresçam e destruam nosso "planeta", temos que eliminar as plantas ruins quando ainda são pequenas.

Sempre seremos jovens demais para saber amar

  O principezinho amou muito sua flor, mesmo com toda a vaidade que ela possuía, mas como ele disse, ele era jovem demais para compreende-la.
  Isso sempre acontece com a gente, nem sempre somos capazes de amar na medida certa, amar é complicado.
  Valorizar uma pessoa que nos ama e aceitar conviver com seus defeitos e ela com os nossos, requer muita maturidade.

Vamos conhecer várias pessoas ao longo da vida

  Ele passou por vários planetas e conheceu várias pessoas...
  todos nós vamos passar por isso também, vamos conhecer várias pessoas.
  Os reis, que querem ter autoridade sobre nossas vidas.
  Os vaidosos, que vão querer apenas nossos elogios.
  Os empresários, que acham que possuem tudo, mas a verdade é que não são donos de nada...
  Ou as raposas que serão as melhores de todas, as que vão nos cativar.

Todos temos uma rosa na vida

  Assim como o principezinho, vamos conhecer uma ou mais de uma rosa, que vamos levar para a vida toda, podem ser nossos pais filhos, amigos, irmãos, o amor de nossas vidas, ou o mais importante de todos, Jesus.
  São essas pessoas que serão únicas no mundo.

    

24/09/2016

Livro o pequeno príncipe pop-up

 quase perfeito, daniel josé livro o pequeno príncipe em pop-up

  Antes de começar o post queria pedir desculpa a vocês, pela ausência aqui no blog. É que está no período de provas na faculdade, aí fica muito difícil achar algum tempo para escrever post e manter o blog atualizado, mas vou tentar encontrar alguém que queira ser colaborador, mas enquanto não encontro, peço a vocês que tenha um pouquinho de paciência e não abandonem o blog.
  É muito triste saber que vocês entram aqui todo dia, toda semana, e não encontram nenhuma novidade, mas nas férias, prometo ser bem mais frequente aqui.

 quase perfeito, o pequeno príncipe tumblr, livro pop-up

  O post terá poucas palavras, já que as imagens já mostram como é o livro.
  Eu gosto muito da historia do pequeno príncipe, acho que é a minha preferida, por ser tão reflexiva e pela inocência que ela traz. Se você ainda não tiver lido nenhuma das edições  ou assistido ao filme, você precisa fazer isso logo, tenho certeza que não vai se arrepender.

  Eu já tinha outra edição da história, mas queria muito essa, por ser bem diferente e muito bonita.
  A maioria das imagens dele faz alguma coisa ao abrir as páginas (Como essa aqui embaixo), e a história é completa.

 quase perfeito, o pequeno príncipe tumblr, livro pop-up

  Acho que o único problema do livro é que não dá para ficar abrindo muito, para não gastar as dobras do papel, mas é meio difícil não querer ficar sempre olhando. 

 quase perfeito, o pequeno príncipe tumblr, livro pop-up

27/07/2016

Escritores que gosto muito

  Sabe aqueles escritores que nos encantam com seu modo de escrever, e que é bem mais que um passatempo ler seus livros? Pois é, separei alguns que gosto muito para compartilhar com vocês.

  John Boyne 
 quase perfeito, John boyne

  Seu livro mais famoso é "O menino do pijama listrado." Mas minha primeira experiência foi com o livro "Fique onde está e então corra" (Tem resenha dele aqui no blog). Gostei muito do livro e fui lendo outros títulos do autor, e gostei de todos.
  O tema mais abordado em seus livros é primeira e segunda guerra mundial. Gosto da escrita dele, porque é cheia de detalhes e surpresas. Uma das principais características dele é quebrar expectativas, e parar na melhor parte do capítulo e ir para outra parte da história, nem que para isso ele volte ou avance no tempo.
  Esse ano teve dois lançamentos, o livro "Uma história de solidão" e "O menino no alto da montanha"

  Joyce Meyer
 quase perfeito, Joyce Meyer

  Depois de ler o livro "A revolução do amor" gostei muito da escritora e passei a ler outros livros dela. O legal é que é tudo bem prático, ela dá muitas dicas para aplicar em nossa vida.


  Stormie Omartian 
 quase perfeito, Stormie omartian

  Li o livro "Uma história de perdão e cura" Que conta a história da vida dela, e foi uma experiência bem emocionante, sério, o fim vai te fazer chorar. E também passei um ano lendo o devocional "Bom dia" .


     

21/02/2016

Resenha: A última dança de Chaplin

 quase perfeito, livro a última dança de chaplin tumblr
  “Ouvir” Chaplin falar.
  Talvez seja isso que deixa o livro tão sensacional.
  Nunca foi difícil para nós entender o que Chaplin queria dizer em seus filmes, embora não dissesse uma palavra.
  Mas como seria ouvir a história dele sendo contada por ele mesmo?
É isso que o livro propõe.

  O que seria o fim do grande astro do cinema mudo tornou-se um pacto.
  Com mais de oitenta anos, Chaplin recebe a visita da morte, em uma noite de natal, porém o nosso herói faz um acordo com a morte: Se conseguir faze-la rir, ela o deixa viver mais um ano.
Tudo isso para poder ver o seu filho Christopher crescer.

  Não seria muito difícil para Chaplin fazer alguém rir, mas esse “alguém” é a morte, e ela nunca rir. E um obstáculo ainda maior é a incapacidade de Chaplin em fazer os números que fazia tão bem, uma vez que já está debilitado.
 quase perfeito, livro a última dança de chaplin tumblr

  O fato é que Chaplin consegue mais um ano de vida, porém toda noite de natal a morte virá para leva-lo, caso ele não consiga faze-la rir.

  Aproveitando o tempo de vida que ainda tem, Chaplin começa a escrever uma carta para o filho contando toda a sua vida.
 Essa mistura de ficção com realidade deixou o livro mágico, e a biografia de Chaplin nunca mais será vista da mesma forma, depois da leitura desse livro.

  Por que Chaplin foi tudo o que conhecemos? Ele mesmo responde:
“suscitar o riso e as lágrima foi o meu maior protesto infantil contra a miséria, a doença e o desprezo, e a minha rejeição ao ódio e a todas as formas erradas que terminam por governar as relações humanas”    

26/10/2015

Fique onde está e então corra

  O título é bem louco. Por que ficar onde está e então correr? (isso você vai descobrir no livro). No começo a leitura não foi muito envolvente, mas chegou um momento que eu não consegui mais parar de ler e terminei quase a metade do livro numa manhã de sábado.
  
  O livro conta a história de um garotinho chamado Alfie, onde, no seu aniversário de cinco anos, seus  pais e o mundo estão aflitos por causa do inicio da primeira guerra mundial (aliás, guerra é o tema preferido de John Boyne).

  A festa de Alfie foi muito simples e poucas pessoas compareceram, afinal, não é todo dia que se inicia uma guerra mundial. Dias depois o pai de Alfie se alista para a guerra achando que ela acabaria antes do natal. Porém, os dias vão se passando e a guerra não acaba.


Alfie e sua mãe são obrigados a se virarem como podem durante os anos de guerra. Até que chega um momento que Alfie não recebe mais noticias do seu pai e acha que ele morreu. Mas algo mágico acontece, seu pai pode estar vivo, e bem perto dele. Entretanto encontrar seu pai talvez não seja o fim da história. Como alguém pode estar depois de lutar por anos na guerra? 


 Boa leitura! 

Design by:Bia Rodrigues. Modificado por: Bruno Vieira | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©